Como manter a aparência jovem sem se vestir como a filha?

As mais velhas também temem pagar mico


Quando a gente vai ficando mais velha muitas vezes se vê numa tremenda cilada: se vestir como jovem - pois a gente se sente jovem - ou mudar o figurino, adotando roupas mais sérias e caretas? É como se precisássemos trocar de pele, pois essa já não nos cabe mais. Mas como manter a aparência jovem, compatível com nosso espírito, sem parecer ridícula, vestida como sua filha mais nova?

E os anos vão passando...

Acredito que essas dúvidas têm muito a ver com os estranhamentos que a gente sente de si mesma. Na verdade nos sentimos iguais, como se ainda tivéssemos vinte anos de idade, mas não temos o mesmo corpo, as mesmas atribuições pessoais e profissionais. E, acima de tudo, não temos mais o mesmo tempo de quando éramos jovens e solteiras. A mulher depois de uma certa idade vive para os outros, dedicando muito pouco tempo para si.

Reconhecimento geral

O importante, me parece, é fazer um reconhecimento de área. Quem é você agora? O que faz? A gente muda ao longo do tempo, mas às vezes se apega demais ao passado. É bom fazer uma revisão das coisas que ficam e as que vão, porque das últimas não precisamos mais.

Espelho, espelho meu

Uma olhadinha no espelho é básica. Dedique um pouco de tempo a ele. Não para sonhar com quem não é, mas para lembrar de quem você é. Seu corpo está em ordem, saudável, ágil, alongado, cheio de vida? Ou está meio fora de forma? Sim, porque se você não se sente bem com ele, nem Dior dá jeito. É muito comum que, com o passar dos anos, com gravidez, vida sedentária, a gente não se identifique mais com nossa embalagem. Então é bom sacudir a poeira e se movimentar, caminhar, dançar. Sei lá, mexer.

Novas funções

Normalmente, quando ficamos mais velhas, também mudamos de função. Viramos mães, avós, chefes e diretoras, e nossas vidas parecem precisar de novas roupas. Não queremos nos vestir como senhoras, mas também não queremos ser vistas como mocinhas. Queremos respeito!

Alexandre Schneider/UOL
Vulgaridade tá fora


Então tá combinado que a gente não vai mostrar o que não precisa e vai valorizar o que tem de melhor? Ombros e colo geralmente têm alta durabilidade. Já barriga e bumbum, nem sempre. Por isso, abuse dos decotes profundos, decotes canoa, ombro a ombro. Evite calças muito baixas, blusas curtas e calças colantes. Roupas muito curtas ou muito justas também podemos evitar. As minissaias são exceção: podem ser usadas sim, principalmente com meia-calça. As pantalonas são ótimas e, se usadas com saltão, ficam incríveis. Cuidado com as mangas cavadas. Só use se estiver com braços lindos e "axilas de miss". Se for esse o seu caso, aproveite para arrasar com uma frente única. As túnicas, que ainda estão na moda, disfarçam culotes e quadris mais largos. Podem ser usadas com calça skinny, pra dar um ar mais moderno.

Arrasa!

A vantagem de ser madura também está na autoconfiança que, em geral, nós temos nesta fase da vida. A conta bancária mais abonada também. Então, invista em você. Compre roupas boas, bem-feitas, de bons tecidos. Gaste com peças duradouras, de cortes poderosos e comemore: você é dona do seu nariz!

Colaborou nesta coluna Marina Pappalardo

Fonte: http://estilo.uol.com.br/moda/dicas/2008/04/24/ult5716u11.jhtm

Mariana Rocha é consultora de moda, formada e pós-graduadapela Faculdade Santa Marcelina, onde é professora e pesquisadora de moda.



Gostou? Compartilhe: