SOL- ESPONHA-SE COM MODERAÇÃO


Piscina é ótimo programa e o bronzeado, sem dúvida, dá um ar mais saudável e sensual. Mas quem não tem bom senso sente as conseqüência na própria pele, ardência, descamação, ressecamento e queimaduras são o mínimo que pode acontecer aos que exageram no tempo de exposição aos raios solares ou dispensam a proteção de um filtro, os excessos podem custar ainda mais caro: além de manchas senis, o temido câncer de pele e a conseqüente renúncia definitiva ao sol

De longe, uma pele bronzeada parece bonita e saudável. Mas de perto o que se vê são sardas, manchas, linhas, rugas, vermelhões, pontos ásperos e ressecados. O sol envelhece. A prova dos noves é simples: examine a pele da parte do busto que fica coberta pelo sutiã do biquíni e compare com a parte exposta do seio. E não estamos falando do efeito mais deletério do sol, o câncer de pele.

Quem inventou o bronzeado estético foi a estilista francesa Coco Chanel. Nos anos 20 ela criou a moda da pele queimada. Até então, o bronzeado era visto como coisa de gente da roça, que trabalhava ao sol para ganhar a vida. Peles alvas eram o must da beleza chic. Sol, nem pensar. Mas foi só Chanel aparecer com uma corzinha que o padrão de beleza começou a mudar. O bronzeado passou a ser símbolo de status, de beleza, de saúde. E daí os exageros de fritar a pele a qualquer custo.

Mas agora o que está em jogo não é um padrão de moda e de beleza, mas a saúde. O excesso de sol mancha, enruga, resseca e pode provocar câncer de pele. Além disso, 90% das rugas são provocados pelo excesso de exposição ao sol.

A primeira e mais conhecida forma de reação e de defesa da pele é o bronzeado. A radiação ultravioleta estimula os melanócitos e estes produzem melanina, um pigmento natural. que escurece a pele para protegêla contra as agressões da luz solar. A capacidade de proteção da pele depende da quantidade de melanina que cada pessoa possa produzir naturalmente. As peles claras, com pouca melanina ficam menos protegidas que as mais escuras. Com a idade, a produção de melanina diminui, portanto a proteção solar deve aumentar.

Por que o sol envelhece? Os raios solares têm efeitos cumulativos, ou seja, todo o sol que você tomou durante a vida fica guardado na memória das células e, mais dia, menos dia, as conseqüências aparecem. Os médicos chamam de capital solar o número de horas que a pele é capaz de suportar, desprotegida, sem mostrar sinais de envelhecimento. Depois de muitos estudos, o resultado ficou por volta de 3.650 horas. Se você tem 30 anos e toma uma hora de sol por dia desde os 15, sua conta está em 5.475 dias. Resumindo: seu saldo de capital solar já está negativo.

Estamos falando 5.475 dias de praia? Não necessariamente. Mesmo na rua, indo para o trabalho, as pessoas são atingidas por cinco tipos de radiação que agem de maneira diferente sobre a pele.

Isso quer dizer que o sol é sempre um inimigo em potencial? Nesses termos, sim. Mas há uma boa notícia capaz os próximos verões.

O sol, além de ser uma fonte de vida, tem efeitos muito positivos sobre nosso moral e estado de ânimo. os médicos recomendam os banhos de sol, porque a radiação solar ajuda nosso organismo a sintetizar a vitamina D, especialmente, nas crianças, e também porque ficou comprovado seu valor terapêutico em tratamentos de enfermidades cutâneas, como a psoríase. Mas o sol emite vários tipos de radiação com diferentes comprimentos de onda. Desses raios, os ultravioleta A (UVA) e B (IJVB) são os que mais afetam o ser humano.

Como os raios atuam sobre a pele

Ultravioleta A

Presente durante o dia inteiro, os raios UVA têm uma camada de onda superior a dos UVB, e não apenas atravessam a camada de ozônio, como penetram em camadas profundas da pele. Também atravessam o cristal e não perdem energia nos dias nublados. Os estudos demonstram que os UVA, além de bronzear, rompem as fibras de colágeno e elastina, provocando rugas profundas. São responsáveis pelo envelhecimento precoce e pela perda de elasticidade da pele.

Ultravioleta B

De longitude mais curta, os UVB têm grande energia e atuam muito rapidamente. Sua ação se limita à camada superficial da pele. São raios mais presentes em torno do meiodia. A eles se devem as queimaduras solares, o vermelhão e, em grande escala, os tumores malignos de pele.

Normas de proteção

A mais importante norma de segurança consiste em aprender que a proteção solar é obrigatória, e deve ser usada como um hábito diário, uma vez que a radiação UVA está presente o dia todo durante o ano inteiro.

Um lembrete útil: uma pele jovem é muito mais sensível aos danos do sol . Na maioria dos casos, 80% dos danos são recebido antes dos 20 anos, mesmo que os efeitos só se tornem visíveis mais tarde.

Fonte: Brasília Em Dia

Gostou? Compartilhe: